Nm 22. 21-33

Balaão espanca sua mula por três vezes. Três vezes ela age de maneira estranha. Desvia-se do caminho, rala o pé dele no muro e finalmente desaba embaixo dele. Ações estranhas as quais Balaão reage com violência, espancando a mula. E os acontecimentos estranhos continuam. A mula fala, reclama do tratamento que está recebendo. E finalmente Balaão vê o Anjo de Deus com a espada desembainhada que vinha contra ele. Só então entende que a mula não estava agindo contra ele.

Ela o estava protegendo.

Quantas vezes, nos indignamos com situações ou atitudes de outros? Por acharmos que não estão sendo leais a nós, que estão nos maltratando? E ao final quando conseguimos enxergar Deus percebemos que a adversidade foi um livramento?

Antes de reagirmos negativamente frente a experiências desagraveis devemos primeiro nos voltarmos para Deus. Antes de espancarmos as“mulas”, prostremo-nos diante do Senhor. Balaão prostrou-se depois de espancar a mula e é lembrado como um tolo.

Sejamos sábios, busquemos ao Senhor antes de agirmos.

Deus o abençoe.
Rev. Sergio,
Seu pastor


compartilhe


Uma Resposta para “Reflexão | RALANDO O PÉ NO MURO”

  1. Ana Cecilia Schlottfeldt Fagundes

    Obrigada pela Reflexão. Muito oportuna.

    Responder

Deixar uma Resposta