Eu lhes tenho dado a tua palavra, e o mundo os odiou, porque eles não são do mundo, como também eu não sou. Não peço que os tires do mundo, e sim que os guardes do mal. Eles não são do mundo, como também eu não sou. Santifica-os na verdade; a tua palavra é a verdade. Assim como tu me enviaste ao mundo, também eu os enviei ao mundo. João 17. 16 – 18

Na oração sacerdotal, Jesus diz aos discípulos que o ódio do mundo era algo que já existia. Não era algo que poderia acontecer ou que viria a acontecer, mas sim algo real e presente. No ambiente, mundo, os discípulos precisavam ser guardados, protegidos.

Deus não nos tirará do mundo. Como então nos relacionaremos com o mundo? 1) nos moldando a ele; 2) isolando-nos; 3) identificando-nos com as pessoas, para ganhá-las para Cristo; 4) envolvendo-nos, com o fim de transformarmos o mundo ao nosso redor? Qual tem sido a nossa atitude hoje em relação ao mundo?

Jesus ora para que o Pai guarde os discípulos, para que estes não se percam (Jo 17. 12).

Apesar do mundo odiar os discípulos e haver o perigo deles se perderem, é para o mundo que eles são enviados (Jo 17. 18).

Existe um evangelho à ser pregado, uma missão a ser cumprida e que deve acontecer no mundo.

Existe uma parte da missão que é exclusiva de cada um. Como indivíduos únicos, temos um chamado, também único.

O que Deus quer realizar exclusivamente por seu e meu intermédio? Perguntemos ao Senhor: qual parte desta Obra é exclusivamente minha? Quem o Senhor quer amar e salvar por meio de minha vida? Que a resposta a esta oração balize nossas vidas.

Rev. Sergio,

Seu pastor.


compartilhe


Deixar uma Resposta