Quanto a Ismael, eu te ouvi: abençoá-lo-ei, fá-lo-ei fecundo e o multiplicarei extraordinariamente; gerará doze príncipes, e dele farei uma grande nação. A minha aliança, porém, estabelecê-la-ei com Isaque, o qual Sara te dará à luz, neste mesmo tempo, daqui a um ano. Gn 17.20,21.

Quando Deus diz a Abraão que dali a um ano Sara teria um filho, que se chamaria Isaque, ele tem dificuldade para acolher aquela palavra, pois estaria com 100 anos e Sara com 90 quando nascesse Isaque. Abraão, então, intercede por Ismael (v.18) achando que só por meio dele seria possível a continuidade de sua herança.

Deus ouve Abraão e promete abençoar Ismael. Promete fazê-lo fecundo e se multiplicar extraordinariamente. Ele geraria doze príncipes, e Deus o faria uma grande nação, mas a aliança seria com Isaque.

O que Deus promete a Ismael é muita coisa, mas não é tudo o que Deus tem para dar. Ele seria abençoado, mas não teria a aliança de Deus como herança.

Ismael teria tudo o que os olhos podem ver, mas não o que só Deus tem para dar.

Temos muitas necessidades e fazemos muitos pedidos para Deus e Ele nos atende, como atendeu Abraão em relação a Ismael. Mas, a pergunta que devemos fazer é: Queremos tudo o que Deus tem para nós, ou só queremos o que os olhos alcançam? Queremos ser um povo abençoado ou queremos ser o povo de Deus?

Podemos ser como todo mundo. Querer o que todo mundo quer. Ou podemos ser únicos, povo de Deus, herdeiro da herança e da aliança que Deus tem para fazer com seus filhos.

O que escolhemos? SER COMO ISMAEL OU COMO ISAQUE?

Rev. Sérgio N. dos Santos


compartilhe


Deixar uma Resposta